23/10/2014

* Diálogo – Projeto Drama Queen #2 ♥

postado por Carol Daixum


Diálogo - Projeto Drama Queen #2
(Texto - Teca Machado) 

- Amiga, e agora?
- E agora o que?
- Tem três dias que ele não me manda mensagem, não me dá sinal de vida.
- Ih...
- Será que mando mensagem? Da última vez fui eu quem puxou papo. Fica chato?
- Olha, sou do tipo que acredita que se você quer falar com a pessoa, tem que falar. Melhor se arrepender do que fez do que de não ter feito.
- Tá, peraí que eu vou bolar alguma coisa.

5 minutos depois

- Amiga, vê o que você acha: "Oi! Tudo joia? Quanto tempo, hein? Você sumiu. Morreu? Haha. Brincadeira. Eu sei que não. Bom, espero que não. Apareça, me liga na hora que quiser. Mil beijos".
- "Tudo joia"? Quem fala "joia" hoje em dia. Parece coisa dos anos 1970. Muda isso.
- Troquei por "tudo bem". Melhorou?
- Muito. Agora vamos conversar sobre o resto.
- O resto? Você acha que precisa mexer mais?
- Sendo bem sincera, sim.
- Ai, meu Deus! Eu sou mesmo uma negação com os homens. Certeza que vou morrer sozinha. Cara, por quê? Por quêêê?
- Ei...
- O que?
- Para de ser dramática.
- Tá. Parei.
- Continuando. Achei ruim a segunda parte, quando você diz que ele sumiu e pergunta se ele morreu. Parece que você ficou contanto as horas desde a última vez que se falaram. Soa desesperado.
- Eu estou desesperada.
- Por que acha que ele morreu mesmo? Hahaha.
- Não! Porque acho que ele está dando bola para outra. Mas agora que você falou isso, AI, JESUS, SERÁ QUE ELE MORREU???
- Larga de ser boba. Claro que não. E tira o Caps Lock.
- MAS VOCÊ NÃO ACHA QUE ELE MORREU MESMO?
- Não. Se tivesse morrido, não tinha atualizado o Facebook cinco minutos atrás.
- O que ele publicou?
- Anh...
- Amiga, o que foi? Por que essa pausa? ELE ESTÁ NO HOSPITAL, É ISSO?
- Não, não. É que eu acho que você não vai gostar...
- FALA LOGO!
- Só se você prometer tirar o Caps Lock. Parece que você está gritando comigo.
- Eu ESTOU gritando com você. Mas tirei, olha. Só minúsculas.
- Então, ele fez check in no cinema com aquela bruaca que você não gosta.
- O QUE? AI, NÃO NÃO NÃO! E AGORA? SERÁ QUE ELE NAMORA ELA? SERÁ QUE ELES VÃO CASAR? ELES NÃO PODEM TER FILHOS. ELA É MUITO FEIA PARA ELE.
- Acho que talvez sejam só amigos. E a gente nem sabe se eles estão ficando, quanto mais pensando nos filhos que você já está pensando.
- É, talvez...
- Mas voltando ao assunto da sua mensagem. Tira a parte que você diz que ele pode ligar quando quiser.
- Mas como ele vai saber quando pode me ligar?
- Ele não pode. Não dê a entender que você fica do lado do telefone falando “Toca telefone, toca” ou “Apita, What’s App, apita”.
- Eu faço isso.
- Só que ele não precisa saber.
- Que droga, hein?
- Ah, e pode tirar o “mil beijos”. Deixa só um simples “beijo”. Ou tira, nem se despeça.
- Por que?
- Porque sim.
- Você é uma ditadora. Minha nossa! Não posso fazer nada e você já fica me cortando!
- E você é uma dramática.
- Então, tá, senhora chefe mestra suprema da minha vida, como vai ser a mensagem.
- Acho que poder ser “E aí? Tudo bem? Está fazendo o que de bom?”.
- E o “beijo”?
- Não precisa.
- Mas eu quero.
- Então vai, coloca um “beijo” no final e manda.
- Tá... Ai, que emoção! Vou fazer isso mesmo. - Mandei.
- Legal.
- E agora?
- E agora o que?
- E se ele não responder? E se ele demorar? E se, credo, ele visualizar e não responder? Acho que eu me desespero.
- Calma, respira...
- AI, AMIGA, O QUE EU FAÇO?
- Ai, ai, o que EU faço por ter uma amiga Drama Queen igual a você?

Drama Queens desse mundo, uni-vos! Vocês não estão sós.

Teca Machado. 

** 

Alguém se identificou com o texto da Teca? Nossa, eu mega me identifiquei hahaha! ;p

Para quem não sabe, esse texto faz parte do Projeto Drama Queen em parceria com a Teca, do blog Casos Acasos & Livros. Quem quiser saber um pouco mais sobre o Projeto e ler o primeiro texto, clique aqui

Ah! Podem opinar à vontade e sugerir temas também! 

Um beijo,
Carol. 

Autora do romance chick lit I Love New York, Teca Machado é uma devoradora de livros e filmes desde 1988 (Ok, mentira, desde 1994, quando aprendeu a ler). Alguém que compra livros pela capa, chora até com propaganda de margarina, é apaixonada por trailers, tem gostos mais adolescentes do que meninas de 14 anos, sonha com dinossauros e com o Bon Jovi, dá risada de si mesma, canta alto e dança no carro e pretende ser autora de Best Sellers. ;-)  * Dona do Blog Casos Acasos & Livros


20/10/2014

* PJ Entrevista:Artista Plástica Melinda Garcia! ♥

postado por Carol Daixum

Essa semana, a artista plástica Melinda Garcia lança a terceira edição do seu livro Holomovimento - Espelho D'Alma. A obra é um compilado de estudos sobre arte, ciência e religião. O surrealismo e o misticismo na obra de Salvador Dalí recebem o olhar meticuloso da autora. E como o PJ procura atender todos os "gostos" literários, resolvi entrevistar a Melinda. Vamos lá? ;-)


Entrevista: Artista Plástica Melinda Garcia

1. Como surgiu o interesse de escrever um livro que mistura arte, ciência, religião e física moderna? 
R: Estes assuntos sempre me interessam muito, e muito antes de assumir a necessidade de escrever sobre Salvador Dalí e sobre arte, e sobre o meu trabalho. 

2. Na sua opinião, o que o livro pode acrescentar na vida do leitor? 
R: Como o livro se baseia e usa como pano de fundo as pinturas de S. Dalí (embora trate também de alguns outros artistas de peso), pois Dalí pintava os próprios sonhos, nesta análise podemos estudar o inconsciente, como se dá a lapidação da nossa esfera psíquica, da nossa alma rumo à iluminação, o que vale dizer à vida eterna. Sua obra nos mostra que há um sentido para a vida e para a alma humana. 

3. Além da capa, o que vamos encontrar de novo nesta terceira edição? 
R: Esta é a segunda edição em papel (afora uma terceira em e-book), trouxe o Misticismo de Salvador Dalí, pouco explorado e divulgado, para primeiro plano e no local onde ele passa por Cristo, pela experiência de Luz, deixando cair por terra o ceticismos, a fragmentação. Nisto aproveito para demonstrar Cristo como sendo o primeiro cientista a dar provas de aniquilamento, de viajar e de fundamentar um novo tempo. 

4. Falando nisso, conte um pouco sobre os detalhes da capa que você criou. Qual foi a maior inspiração? 
R: Inspirei-me no episódio bíblico da Transfiguração de Cristo, e na segunda capa em Gala de las esferas da pintura de Dalí. Faço um retrato meu em estilo pop, rodeada de fótons e quantas de luz.

5. Salvador Dalí serviu como pano de fundo para você escrever esta obra. Conte um pouco sobre o motivo dessa escolha. 
R: Porque S. Dalí pintou os próprios sonhos e daí eu pude, ou consegui, "psicografar" por assim dizer, o seu psiquismo. Nenhum outro artista no panorama universal das artes, produziu como ele, fidedignamente, os próprios sonhos.

6. Podemos dizer que Salvador Dalí é uma inspiração para o seu trabalho, tanto como escritora, escultora e pintora? Conte um pouco. 
R: Não. Dalí não me inspira como estilo pictórico, o meu fazer artístico não tem relação com Dalí, mas posso dizer que a arte nos conduziu pelos mesmos caminhos, similares, de lapidação mental e espiritual.

7. Geralmente na última pergunta, eu peço para a autora escolher três livros para salvar de um incêndio. Mas dessa vez, eu vou fazer diferente. Se você tivesse que escolher entre as três áreas, qual seria a sua escolha? Por quê? 
R: A escultura é a minha paixão. Sou basicamente escultora. Aos 7 anos de idade tive a primeira passagem por uma escola de arte e experimentei a magia de modelar, o barro. Vi nisto uma graça recebida, um dom que eu abracei com paixão e sempre cuidei. Uma imposição da alma. Enfim, eu me tornei o barro que a arte ajudou a remodelar.

**

Muito obrigada, Melinda! Sucesso para você e para a nova edição do livro. ;-)

E para os interessados, o lançamento vai acontecer amanhã, dia 21 de outubro, às 19h, no Shopping Cassino Atlântico, em Copacabana. Ah! O livro está disponível na Livraria Cultura e na Travessa. E quem quiser saber um pouco mais sobre a artista plástica, mais informações e por aí vai, é só clicar aqui.

Um beijo,
Carol.

P.S: Crédito da foto - Site Melinda Garcia 
Agradecimento: Beatriz Merched. 


19/10/2014

* Para pensar (e apoiar): Outubro Rosa! ♥

postado por Carol Daixum

Oi, Gente, tudo bem? Espero que sim! :) 

E a seção "para pensar" de hoje é para apoiar o lindo movimento Outubro Rosa, que ajuda a divulgar a importância da prevenção do câncer de mama. Durante esse mês, tenho visto lindas ações, que tenho certeza de que ajudam muito as pacientes que estão enfrentando a doença e a conscientizar a população. Por exemplo, o Barra Shopping (que fica no Rio de Janeiro) junto com a Fundação Laço Rosa está mega apoiando o movimento e está todo rosinha. Dentre as ações do shopping, o público encontra uma caixa para doação de lenços para ajudar as mulheres que perderam o cabelo durante o tratamento. Já fiz a minha parte. Cariocas e turistas, ajudem também. ♥ 

E não para por aí. O blog Garotas Estúpidas em parceria com a Flávia, do Quimioterapia e Beleza, criaram a websérie Orgulho Pink. São quatro episódios com dicas de moda e beleza para mulheres que estão lutando contra o câncer de mama. Semana passada, elas postaram o segundo vídeo. É muito bacana o projeto! Quem quiser assistir, é só clicar aqui e aqui

Outra forma de apoiar o movimento, é baixando o aplicativo "outubro rosa", criado pelo shopping Tacaruna. O app usa um filtro todo rosa para a foto que você selecionar. Fica bem fofo e é um ótimo jeito de conscientizar quem faz parte das suas redes sociais. Segue o resultado da minha foto! 

Pequena Blogueira que vos bloga!
;-)

E os livros não ficam de fora dessa campanha. Vi algumas blogueiras literárias e editoras fazendo a parte delas publicando fotos de livros rosas (pode ter apenas alguns detalhes). Resolvi unir os meus livros e tirar a minha foto também. Adorei o resultado! Se você tem livro rosa, que tal clicar? Falando nisso, uma leitura que eu mega recomendo para todo mundo e, principalmente, quem está enfrentando ou já venceu o câncer de mama, é Coisas para fazer antes dos 30. Conta a história da Lisa, que aos 28 anos de idade teve de lutar contra a doença. A história é real e ela consegue contar de uma forma bem leve. Vale muito a pena! Eu emprestei para a minha psicóloga, que adorou e sempre indica para pacientes que de alguma forma tiveram ou tem de lidar com a doença.  

Cantinho literário "Outubro Rosa"
;-)

Acho que é isso, gente! Felizmente, não tive de lidar com essa doença horrível diretamente. Mas sei a importância da prevenção. Não somente durante o movimento Outubro Rosa e, sim, durante o ano todo. Ficar atenta, sempre lembrar sua mãe, irmãs e por aí vai. Quem quiser mais informações, o site da Fundação Laço Rosa é bem completo e o da Flavia também. Clique aqui e aqui. E faça de alguma forma a sua parte. ♥ 

Um beijo, 
Carol. 


16/10/2014

* Projeto Drama Queen! ♥

postado por Carol Daixum

Oi, Gente! 

Eu e a Teca, do blog Casos Acasos & Livros, estamos com um novo projeto para vocês queridos leitores: o Projeto Drama Queen. Cada semana, uma das duas vai escrever alguma situação do dia a dia em que o nosso lado dramática aflora e acabamos com todos os lenços de papel do estoque da farmácia ao lado, porque a sessão de choro não acaba por nada nesse mundo. Claro, tudo com uma dose exagerada de drama. Para começar, eu, pequena blogueira que vos bloga, revoltada master com o Whatsapp, escrevi um texto sobre esse aplicativo odiado por mim e por vocês, em algum momento da vida. ;-) 


"Escala de ódio Whatsapp: 10 mil ícones do Whatsapp!"
(Por Carol Daixum) 

"Como uma boa drama queen, tenho uma listinha de coisas que eu não morro de amores. Por exemplo, tampa de refrigerante. Funciona assim: compre e não beba, porque você vai demorar muito para abrir e a sua mão vai ficar roxa e dolorida. Escada rolante parada e a gente é obrigada a usar? Dá uma aflição. Agora quem ocupa o topo da minha lista é o Whatsapp e seu amiguinho 'última visualização'. Nossa, ódiozinho profundo. 

Eu adorava no começo. Os criadores (anotem os nomes para jogar vudu hahaha #brincadeirinha: Jan Koum e seu sócio Brian Acton) eram os meus heróis. Hoje eu desejo profundamente que as mensagens deles sejam visualizadas e ignoradas constantemente. Não é vingança, é lei do retorno. Se as cartas estão extintas, o e-mail está indo pelo mesmo caminho. Se você não olhar o seu grupo, considere-se excluída do programa de sábado à noite. E nada de reclamar, afinal você estava adicionada e "ciente" de todas as informações. É seu aniversário? Mensagem no Facebook já era, agora é pelo Whatsapp e olhe lá (eu até mandava parabéns por lá, mas só quando eu não conseguia falar com a pessoa, não tinha intimidade ou a pessoa estava viajando. E eu só perdoava nesses casos também). 

O meu drama aumenta quando eu mando mensagem, a pessoa fica online, do nada off, olho a última visualização mil vezes e confirmo: fui ignorada. Eu tenho uma teoria: se a pessoa teve cinco segundos para olhar, ela também pode tirar cinco segundos para responder 'oi, estou ocupado, depois eu respondo', acrescenta uma carinha feliz e fica tudo bem. Tão simples! Ok, eu também demoro para responder. Mas em minha defesa, o 3G não colabora quando estou na rua, às vezes eu tenho que pensar na minha resposta e algumas pessoas merecem sentir na pele. Aplico a lei do retorno mesmo e é isso. Claro, que o mundo não gira em torno do meu umbigo. Nem sempre a pessoa faz por mal. Talvez o boy não faça ideia das lágrimas que escorrem dos nossos lindos olhinhos porque ele visualizou e não respondeu. Mas poxa vida. Bom senso, sabe? 

Visualizou e não respondeu é praticamente um ato terrorista do mundo do Whatsapp. E quando a pessoa fica online mil vezes por dia e você confirma que foi ignorada? E esse papo de se distrai e tal, não funciona comigo. Choro a cada clique na porcaria do ícone verde. Nunca odiei tanto a cor verde. Dependendo da pessoa, essa história de 'ops, esqueci de responder' não desce. Para tentar mudar o rumo da minha vida, resolvi desativar o modo visualização. Mas não adiantou muita coisa, já que eu via a pessoa online sempre. Então, eu tomei uma decisão: deletei o aplicativo (pausa dramática). Fui terrivelmente criticada, mas sou ansiosa ao extremo e esperar não é o meu forte. Bloquear tal pessoa e blá-blá-blá não me ajuda em nada. Quem quiser falar comigo, saia da caixinha e arrume um jeitinho. 

Agora sem drama, ok, um pouco. Eu sei que o aplicativo facilita a vida. Para alguns, é o único meio de comunicação. Porém, afasta também. Em terra de Whatsapp, ligação é prova de amor. Sabia que você corre o risco de ficar sem o prêmio que você ganhou honestamente porque você não respondeu a mensagem no Whatsapp? Pelo amor. Não estou falando para todo mundo ser radical, mas eu torço por mais gestos reais e menos demonstrações virtuais. Há duas semanas eu não fico ansiosa ao extremo, não olho o celular de cinco em cinco minutos, não ignoro ninguém e ninguém me ignora, durmo melhor e sou mais feliz. Whatsapp me causou um trauma profundo. E as pessoas que usam em excesso mais ainda. As que ignoram, meu Deus, sem comentários. 

Então, seguem três recadinhos. Você visualiza, responde sem demorar e usa com moderação o odiado Whatsapp? Parabéns, você é um ser abençoado, iluminado e merece todo o meu amor. Agora, caro usuário que faz parte do time que visualiza, não responde, só fala através desse aplicativo e tal, vai catar coquinho na esquina (a sua sorte que eu sou educada =D). E leitora que faz parte do meu clube 'sofri, chorei, não aguentei e deletei', vem cá dá um abraço, drama queen de primeira. Você não está sozinha e está no caminho certo (pausa para as críticas da oposição)." ;-) 

Crédito da foto: Disney Irônica

Vocês também odeiam o Whatsapp e o usuário sem coração? Comentem! 

E podem opinar e sugerir à vontade. ;-)

Um beijo, 
C.